Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2017

3. Inimigo sombrio (Eternally yours)

Chegamos ao desfecho da saga da nossa amada imortal Nastasya!! Uma coisa que percebi durante a leitura dessa saga é que: ele não responde muita coisa. A nossa protagonista tem mais de 400 anos e o livro é repleto de flashbacks indo e vindo durante todos os 3 volumes, porém esses relatos não dão detalhes e deixam algumas perguntas soltas no ar. O comportamento de alguns personagens mudam de uma hora para outra e as coisas demoram muito para acontecer e quando a ação acontece, BUM! tudo é resolvido rapidamente como em um passe de "magicka". Esse volume enrola mais que os outros confesso que conclui a história somente por dois motivos. Reyn e Nastasya. O romance entre eles foi muito bom de ler, os diálogos deles são de uma maestria maravilhosa, engraçado, dramático, meloso (nem tanto) bem na medida. E todas as paranoia de Nas também me guiou até o fim da história, por me identificar completamente com suas frustrações, desapego, medo e insegurança perante ao que esperar da vida…

2. Cair das trevas (Darkness falls)

O segundo volume da trilogia Amada imortal. Esse livro consegue manter bem o ritmo de seu antecessor, com pitadas de humor, história, romance e ação (não tanta) na dose certa. Nesse volume vemos uma Nastasya um pouco mas não muito adaptada a sua nova vida em River's Edge. Vemos nela a mesma mistura de impaciência, rebeldia e insegurança perante os novos conhecimentos obtidos pela sua magick. Há espaço também para muito sentimentos conflitantes perante a ao deus viking Reyn, do qual conquista a todas as leitoras. Aqui nos descobrimos mais sobre o passado de Nas e seus amigos imortais, incluindo o volúvel Incy, que volta para "salvar" Nas da vida natureba da qual ela se encontra. O final é nada menos que previsível um ponto fraco para Cate Tiernan que notei ao ler os três volumes.
SINOPSE: Segundo livro de bem-sucedida trilogia, mistura fantasia sobre imortais a uma história moderna de jovem em busca de si mesma e de redenção. Questões de identidade e moralidade aparecem n…

1. Amada Imortal (Immortal beloved)

Minha mais nova trilogia queridinha!
Mal terminei o primeiro e já estou em vias com o segundo volume da saga de Cate Tiernan. Uma história absolutamente cativante e reflexiva sobre imortais. Claro que ela não foge de clichês na hora de narrar romances.
Na história temos Nastasya que é uma imortal a mais de 400 anos e vivia a vida no limite da esbornia, até que tudo para de fazer sentido e se torna muto repetitivo, é aí que nossa heroína parte para uma nova vida e aos poucos vai se adaptando e conhecendo mais sobre sua linhagem imortal, tudo isso embalado a muitas emoções adolescentes (Qual é? ela tem 429 anos e se comporta como uma pessoa de 17 na maioria das paginas?) mas nos momentos de depressão profunda da personagem, você que tem um pouco mais que essa idade (17,  não os 400 e poucos anos) você pode ver sinceridade na escrita e esse retiro (que ela frequenta para mudar o estilo de vida) em que ela aprende tanta coisa sobre si mesma pode te ajudar a enfrentar alguns momentos que …

1. Visão do Além (Grave sight)

Nunca tinha ouvido falar em Charlaine Harris. Não sabia (até a segunda temporada mais ou menos) que a serie de tv da HBO, True Blood era baseada em uma series de livros da mesma. Então graças ao irritante selinho amarelo que está impregnado a capa de Visão do além, me atentei ao fato de que essa obra era da mesma autora da series de livros que originou minha tão querida série (até a quarta temporada pelo menos, depois é tudo ladeira abaixo). Demorei um pouco para pegar o ritmo do primeiro volume das aventuras de Harper Connely mas do meio para o final me vi bem concentrada e ansiosa pelo o que viria a seguir. Harper tem o dom (ou não) de encontrar pessoas mortas e sentir como foi os momentos que sucederam a sua partida desta para melhor e com isso passa ser uma mercenaria de corpos humanos (no bom sentido, é claro), esse dom veio de uma acidente com um raio que caiu sobre ele quando a mesma tinha 15 anos. Acho que já li duas obras com essa mesma temática, será que uma nova moda está v…

Clube da Luta (Fight Club)

Bem vindo senhoras e senhores ao Clube da luta. A primeira regra para se estar aqui é: Não se fala sobre o clube da luta!  E a segunda regra é: NÃO SE FALA SOBRE O CLUBE DA LUTA!
Chuck Palahniuk (Tchâqui Pauniâqui) nos mostra com essa obra como podemos nos identificar com uma mente tão surtada (E não somos todos nós um pouco ou no meu caso MUITO, surtados?). Vi primeiro o filme por querer ser cult. Vi em uma lista que se você se identifica, é ou quer ser CULT você tinha que assistir a película protagonizada por Edward Norton e Brad Pitt para poder se encaixar nessa categoria. O que eu achei do filme? Genial. O que achei do Livro? BRILHANTE! Gostei de como a história é contada meio que de trás para frente e como tudo se encaixa perfeitamente (Ò Deus! porque não me abençoaste com um talento assim?). O enredo do livro nos trás mais detalhes dos personagens, A Marlla é uma figura esplendorosa com toda sua morbidez suicida e suas falas impactantes (Que outra mocinha de romance pede para abort…