Pular para o conteúdo principal

A Culpa é das Estrelas (The Fault in Our Stars)



"...Às vezes, um livro enche você de um estranho fervor religioso, e você se convence de que esse mundo despedaçado só vai se tornar inteiro de novo a menos que, e até que, todos os seres humanos o leiam" - Hazel Grace

 Alguns livros tem o privilegio de nos proporcionar uma mescla de sentimentos, mas poucos fazem isso com tanta destreza e graciosidade como A Culpa é das Estrelas. Um livro realmente lindo e emocionante, com doses de humor mais que necessárias, por tratar de um tema tão presente na vida de muitos. Jamais falarei a ninguém que o enredo é triste, pois não é.
  Antes da escolha dele, eu me sentia um pouco desconfortável com a sinopse, pois achava que seria um livro extremamente mórbido, mas após muitas recomendações dei a partida e comecei a lê-lo tão rápido, que mal percebia o avanço das páginas. A história é tremendamente encantadora e apaixonante, com direito a tudo que um um bom livro possa transmitir, risos, choros, lamentações e conforto.
  O final foi bem surpreendente para mim (apesar de sem querer, ter visto spoilers ¬¬'), mais não tirou o seu encanto, acho que foi o essencial para que ele se tornasse um livro tão marcante.

Trecho do Livro: "Alguns infinitos são maiores que outros"

"Estou apaixonado por você e não quero me negar o simples prazer de compartilhar algo verdadeiro. Estou apaixonado por você, e sei que amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim, e que haverá um dia em que tudo o que fizemos voltará ao pó, e o sei que o sol vai engolir a única Terra que podemos chamar de nossa, e eu estou apaixonado por você."  - Augustus Waters

Sinopse: A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.

Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os 13 Porquês (13 Reasons Why)

Sem duvidas esse para mim foi um livro bem impactante, a começar com a narrativa que é totalmente diferente de tudo que eu já havia lido, e como me chocou ver que eu me identifico tanto com os personagens. Os 13 porquês traz a tona um tema bastante conhecido o "bullyng" que é uma coisa que a maioria das pessoas enfrentam ou já enfrentaram ao longo da vida, juntamente com o enredo o autor nos mostra as consequências que tais atos, que podem até parecer banais mas que para algumas pessoas podem significar algo muito mais profundo. Eu sinceramente me vi nos papeis tanto da Hannah quanto do Clay. A Hannah por pensar em desistir de tudo algumas vezes, naqueles momentos em que tudo da errado e você se vê pensando em saídas nem sempre convencionais e o Clay sendo tão fraco e não lutando por aquilo que ele sempre quis, por medo. como ele mesmo cita na história:
- "... Não tínhamos tido essa chance porque eu tinha medo. Medo de não ter chance com você."
Os 13 porquês é um l…

Série: Diários Do Vampiro (The Vampire Diaries)

Bom, tomei iniciativa de ler a saga que deu origem a tão famosa série americana graças ao presente de aniversário que ganhei de uma amiga, os dois primeiros livros O Despertar e O Confronto, e só para variar um pouquinho me tornei tão obcecada com os livros quanto sou pela série televisiva, apesar das inumeras diferenças entre ambos (coisa que me levou a ler a serie tão tardiamente) mais enfim. A história de base é a mesma, dois vampiros altamente charmosos que se apaixona pela mimada mortal Elena Gilbert, que vive nesse dilema insano entre os sentimentos que nutre pelos irmãos Stefan e Damon Salvatore. Tudo estava bem para mim até o 4º livro que apesar de suas insanidades ainda me levou a  correr como uma louca a procura das continuações, justamente por estar loucamente apaixonada pelo personagem do Damon (suspira *-*), Mas o que acontece a partir do 5º livro? alguém me explica? eu pessoalmente achei que há muitos erros de continuidade parece que a autora força a escrita e acaba inc…

Lolita (Lolita)

Não sei o que descrever, só sentir!! Sentimentos conflitantes me acompanharam ao decorrer da narrativa de Vladimir Nabokov e seu polêmico Lolita. Lembro que a muito tempo atras entre o tédio e as zapiadas corriqueiras na tv, peguei o inicio do filme Lolita a passar no antigo inter-cine na madrugada da rede globo e ficar chocada com o relacionamento entre um homem de meia-idade(aparentemente, assistindo hoje, não acho Jeremy Irons tão velhos assim) e uma criança, não tive condições de assistir ao final do filme (devido a hora) mas sua história permaneceu em mim até hoje e lembro com muita nitidez das cenas que vi. Anos mais tarde tive acesso ao tão aclamado livro e posso falar que a leitura é um pouco fadigante, surpreendente e confusa, para conclui-la foi preciso concentração total a trama. Não achei um livro fácil de compreender (ainda não tenho certeza se consegui capitar alguns trechos) quando eu achava que estava indo no rumo certo e absorvendo tudo, o senhor Nabokovi ia lá e me …