Pular para o conteúdo principal

1. Amada Imortal (Immortal beloved)

Minha mais nova trilogia queridinha!
Mal terminei o primeiro e já estou em vias com o segundo volume da saga de Cate Tiernan. Uma história absolutamente cativante e reflexiva sobre imortais. Claro que ela não foge de clichês na hora de narrar romances.
Na história temos Nastasya que é uma imortal a mais de 400 anos e vivia a vida no limite da esbornia, até que tudo para de fazer sentido e se torna muto repetitivo, é aí que nossa heroína parte para uma nova vida e aos poucos vai se adaptando e conhecendo mais sobre sua linhagem imortal, tudo isso embalado a muitas emoções adolescentes (Qual é? ela tem 429 anos e se comporta como uma pessoa de 17 na maioria das paginas?) mas nos momentos de depressão profunda da personagem, você que tem um pouco mais que essa idade (17,  não os 400 e poucos anos) você pode ver sinceridade na escrita e esse retiro (que ela frequenta para mudar o estilo de vida) em que ela aprende tanta coisa sobre si mesma pode te ajudar a enfrentar alguns momentos que com certeza você vai se identificar durante a leitura.

SINOPSE:  Primeiro livro da bem-sucedida trilogia. mistura fantasia sobre imortais a uma história moderna de uma jovem em busca de si mesma e de redenção. Questões de identidade e moralidade aparecem na trama protagonizada pela imortal Nastasya.

Nascida em 1551, acostumada a beber e sair para baladas cada vez mais loucas, ela perdeu o rumo. Suas conexões com outros imortais, interessados apenas em suas habilidades mágicas, a fazem partir em busca de um propósito. E o encontra em uma espécie de clínica de reabilitação para os de sua espécie, onde conhece um pouco mais sobre o próprio passado e cria importantes laços para o futuro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os contos de Beedle, o bardo (The tales of the Beedle, the bard)

Querida JK Rowling parafraseado Hazel Grace, "Eu leria até a sua lista de compras". O que mais me impressiona nas escritas de JK é a quantidade de detalhes impostas e criadas por ela, um mundo dentro do outro e entrelaçar personagens tão queridos com outros fa a nostalgia gritar! Os contos de Beedle serve como os contos de fadas do mundo bruxo e traz histórias extremamente fofas e com a moral que não seriam tão bem explicadas se não fosse ele fazendo anotações preciosas, o próprio Alvo Dumbledore. Que emoção foi essa de ler essa maravilha? Aqui nos temos 5 histórias, cheias de significados e e com lições valiosíssimas, sobre escolhas, consequências e moral. O bruxo e o caldeirão saltitante A fonte da sorte O coração peludo do mago Babbity, a coelha e seu toco gargalhante O conto dos três irmãos (o mais famoso de todos por estar presente no sétimo livro Harry Potter e as relíquias da morte).  
SINOPSE: Os contos foram traduzidos das runas originais pela personagem Hermione, a partir …

Os 13 Porquês (13 Reasons Why)

Sem duvidas esse para mim foi um livro bem impactante, a começar com a narrativa que é totalmente diferente de tudo que eu já havia lido, e como me chocou ver que eu me identifico tanto com os personagens. Os 13 porquês traz a tona um tema bastante conhecido o "bullyng" que é uma coisa que a maioria das pessoas enfrentam ou já enfrentaram ao longo da vida, juntamente com o enredo o autor nos mostra as consequências que tais atos, que podem até parecer banais mas que para algumas pessoas podem significar algo muito mais profundo. Eu sinceramente me vi nos papeis tanto da Hannah quanto do Clay. A Hannah por pensar em desistir de tudo algumas vezes, naqueles momentos em que tudo da errado e você se vê pensando em saídas nem sempre convencionais e o Clay sendo tão fraco e não lutando por aquilo que ele sempre quis, por medo. como ele mesmo cita na história:
- "... Não tínhamos tido essa chance porque eu tinha medo. Medo de não ter chance com você."
Os 13 porquês é um l…

1. Visão do Além (Grave sight)

Nunca tinha ouvido falar em Charlaine Harris. Não sabia (até a segunda temporada mais ou menos) que a serie de tv da HBO, True Blood era baseada em uma series de livros da mesma. Então graças ao irritante selinho amarelo que está impregnado a capa de Visão do além, me atentei ao fato de que essa obra era da mesma autora da series de livros que originou minha tão querida série (até a quarta temporada pelo menos, depois é tudo ladeira abaixo). Demorei um pouco para pegar o ritmo do primeiro volume das aventuras de Harper Connely mas do meio para o final me vi bem concentrada e ansiosa pelo o que viria a seguir. Harper tem o dom (ou não) de encontrar pessoas mortas e sentir como foi os momentos que sucederam a sua partida desta para melhor e com isso passa ser uma mercenaria de corpos humanos (no bom sentido, é claro), esse dom veio de uma acidente com um raio que caiu sobre ele quando a mesma tinha 15 anos. Acho que já li duas obras com essa mesma temática, será que uma nova moda está v…